quarta-feira, 9 de março de 2016

Workshop | Magia dos Dragões - SP




Workshop | Magia dos Dragões
Os dragões são seres mágicos por natureza, sua força e magia permeia várias culturas e civilizações. Temos a oportunidade e ter esses aliados próximo de nós, a proposta desse workshop e conhecer um pouco mais desse universo de pura magia. Nesses dois dias de workshop mergulharemos no universo da Magia dos Dragões conhecendo um pouco mais sobre sua egregora, atuação, contato e magias. Serão dois encontros onde de forma prática e imersiva realizaremos vivências de conexão, rituais, alquimias e oficinas de magia prática. Um oportunidade de conhecer e compreender um pouco mais sobre esses seres maravilhosos e sua poderosa magia.
Conheça os temas abordados:
O UNIVERSO DOS DRAGÕES
RITOS DE CONEXÃO
ALQUIMIA MÁGICA
DRAGÕES E CRISTAIS
ESFERAS ELEMENTAIS
MAGIA PRÁTICA
OFICINA: NINHO DO DRAGÃO
OFICINA: A ESPIRAL DO DRAGÃO
Investimento: 240,00
Serão dois encontros aos sábados nos dias 12 de Março e 9 de Abril, das 10h às 16h.
As vagas são limitadas!
Facilitador: Júlio Archanjo
Informações e inscrições:
Espaço Holístico Sagrada Espiral
Rua Ibéria, 122 - Parada Inglesa | SP
(11) 961894322 (11) 2978 2048 contato@sagradaespiral.com.br

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Dragões e os Tesouros da Terra




Dragões e os Tesouros da Terra
Utilizando o reino mineral na magia dos dragões – Parte 1


Anteriormente eu havia feito um vlog falando do universo dos dragões e os cristais, porém depois de uma cobrança deles resolvi explanar melhor o tema de uma forma que vocês possam ter mais base e também conteúdo para o estudo. Esse texto terá três partes onde falarei de diversos cristais e minerais que podem ser utilizados na magia com os dragões das mais diversas formas. Pegue uma xícara de chá, coloque uma música épica e vamos à leitura.

O universo do reino mineral é simplesmente formidável, e eu diria até que infinito levando em consideração o cosmos. Dentro desse universo existem vários dragões que regem determinadas camadas do reino mineral e consequentemente os cristais, pedras e minerais que habitam nelas.  
Falaremos nessa primeira parte de alguns cristais que podem ser utilizadas para a magia com dragões e também as formas de utilizá-los.  Quando imaginamos as ligações entre o reino mineral e os dragões,  podemos mergulhar em infindáveis possibilidade de conexões e usos.
Minérios, cristais de quartzo, meteoritos, cristais com água entre centenas de milhares de outras possibilidades.
Vamos então mergulhar através das fendas da terra até os úteros cristalinos que muitas vezes são moradas de diversos dragões.

Para entender a conexão e forma de utilizar determinados cristais com os dragões, é de extrema importância compreender o micro e macrocosmo do mesmo, entender que cada um deles possui a sua singularidade assim como os dragões. Quando compreendemos essa singularidade adentramos em uma senda de mistérios e sabedoria, claro que tudo só é possível com dedicação, estudo, disciplina e testes.

Conheceremos agora alguns desses formidáveis seres e suas histórias:


                                                          Pietersita | Tempest Stone – Pedra da Tempestade

Essa pedra possui uma singularidade magnífica, quando vista de perto ela lembra uma fotografia aérea de regiões desérticas e savanas. A pietersita tem é encontrada na Namíbia, ela também é conhecida como Pedra da Tempestade por também possui ligação com essa energia. Ela é uma pedra indicada para viagens astrais e desdobramentos para acesso aos registros akáshicos, ela possui ligação com os dragões ligados às tempestades, aos raios e também a dragões da ordem e do caos.  Essa pedra é perfeita para rituais que envolvem quebra de padrões, pois ela possui uma propriedade interessante que é de auxiliar na dissipação das ilusões criadas por nós ou por outras pessoas. Ela possui a virtude da verdade, por isso pode ser usada também em situações que exijam essa virtude.
Dica: Quando obtiver essa pedra faça seu processo de purificação em um dia de chuva, dê preferência quando essa tiver com grande número de raios e trovões. Ao expor a pedra na chuva peça para os dragões deste elemento a despertarem com as virtudes da visão, honra e verdade.


Ouro da Líbia | Vidro da Líbia ou Tectito do Deserto da Líbia

Esse tectido é um dos mais poderosos que já vi, sua conexão com esferas estelares e ao mesmo tempo antigas é simplesmente formidável. O ouro da Líbia tem possivelmente sua origem da queda de um meteorito na região do deserto ocidental. Fiz algumas experiências com esse tectido e notei a sua grande conexão com dragões que habitam os desertos, dragões que muitas vezes se fundem com as areias desta região. Seu uso é indicado tanto para conexão com dragões estelares como com dragões das areias, essa “pedra” possui uma grande energia solar o que também possibilita a conexão com dragões do fogo, excelente para magias de proteção, escudos mágicos e também para usar como chave para viagens através das linhas de tempo.  Como disse, em minhas experiências notei essa forte ligação com os dragões dos desertos que em alguns contatos estavam acompanhados de “beduínos” tão antigos quanto os mesmos. Indico usar essa “pedra” com cautela caso você tenha dificuldade de ficar ancorado na terra, ela possui uma energia muito expansiva a nível cósmico e isso tende a se intensificar se você já possuir esse padrão.
Dica: O vidro da Líbia possui grande conexão com os egípcios, quando obtiver o seu tectito faça um ritual para as energias das areias e seus dragões.


Quiastolita | Pedra Cruz

Um pedra que particularmente sou apaixonado, essa pedra possui um intenso poder de proteção e de força. Ela estabelece uma conexão com as esferas guerreiras, porém esferas ricas em virtudes como a honra, a amizade, irmandade e cumplicidade.  Por isso a indico como uma pedra para conexão com os dragões guardiões sejam pessoais ou de locais, essa pedra possui uma “cruz” fazendo a alusão aos quatro elementos, quatro direções, quatro raças enfim a diversas simbologias.  Usada desde tempos antigos para proteção contra ataques e espíritos negativos a pedra cruz é uma excelente companheira para qualquer momento.  Você pode utilizá-la para conexão e fortalecimento do elo com o seu dragão, ela é uma pedra que nos ensina sobre a vida e a morte, sobre a imortalidade e seus mais amplos significados.
Dica: Quando obtiver sua pedra cruz a consagre junto ao seu dragão para que ela seja um escudo energético de proteção contra energias das mais variadas formas.

As pedras citadas nesse texto podem ser encontradas em sites brasileiros, algumas possuem um valor um pouco elevado como é o caso do vidro da Líbia, porém eu afirmo que vale o investimento nele em especial.
Espero que vocês gostem desse material e possam fazer bom uso dele. Quando realizarem suas experiências compartilhe conosco.

Boa jornada,

Júlio Archanjo

Links onde vocês podem adquirir os cristais aqui informados:

www.cristaisedragoes.tanlup.com
www.cristaisaquarius.com.br




domingo, 18 de outubro de 2015

DRACÔNIA - Uma visão além da joia mística.



Muito se vê em filmes, contos, lendas e mitos de diversas culturas sobre a “joia” mística que o dragão possui, joia essa que conferia poder, imortalidade, força e dons mágicos ao seu portador. Muito foi se falado sobre essa “pedra” poderosa que em alguns contos assemelha-se a pedra filosofal. 
Transcendendo essa visão da joia mística pude notar em diversos dragões nos quais eu já tive contato e também os que amigos tiveram que muitos dragões possuem algo em alguma parte de seu corpo que lembra uma pedra lapidada, muitas vezes localizada no pescoço na altura do peito, na testa, no dorso, na cauda e quando em formas “humanoides” elas ai sim aparecem como joias. Porém não é regra geral essa exemplificação, digo isso pelo que vi em muitos dragões, alguns deles possuem apenas centros de energia algo que lembra os nossos chakras, muitas vezes esses centros pode sim vibrar e pulsar em formações geométricas que lembram lindas gemas lapidadas. Esses centros de energia são muitas vezes a manifestação do poder, força ou elemento do dragão, por isso muitos mitos, filmes e afins mostram guerreiros atacando dragões em pontos específicos, ou seja, atingindo a sua “dracônia”. Esse termo se popularizou no meio dos praticantes de magia dos/com dragões, porém nem todos os dragões usam esse termo, muitos falam apenas ser pontos de energia, outros a sua joia mística e uns nem comentam. 
Trazendo para o contexto ritualístico o que seria a dracônia? Como usá-la? 
Bem, nesse caso usaremos a dracônia como uma representação da ponte entre mundos, esferas e dimensões dos dragões, ela será sua bateria de energia, sua guia entre mundos, seus olhos nas esferas deles e também o seu “pendrive” de energias e informações adquiridas e passadas por eles.  
Ela poderá ser uma pedra bruta que você sinta ou algo lapidado, eu particularmente notei mais afinidade pelas lapidadas uma vez que a geometria é algo apreciado em todo o universo. Transforme sua busca pela dracônia em uma jornada de magia, conhecimento e poder. Deixe os dragões te guiarem até a joia mais indicada para você, tenha certeza de que a peça que chagar em sua mão será a escolhida para você. Muitos utilizam a dracônia como o olho de dragão em magias e rituais.


Irei deixar um rito de purificação e consagração da sua dracônia para o uso mágico em seus ritos com os dragões.

Você irá precisar de:

A pedra que será sua dracônia
Pétalas de rosas brancas desidratadas
Sangue de dragão seiva ou resina (caso não tenha utilize urucum)
Incenso
Tigela ou caldeirão com água
Vela
Punhado de terra ou areia


Faça uma infusão com as pétalas de rosas e o sangue de dragão, após esfriar leve a poção para o recipiente citado. Disponha os demais itens em círculo, se concentre acenda a vela e o incenso respire profundamente e medite por alguns minutos sobre a energia que aquela pedra ou cristal possui, após isso invoque os dragões elementais.

 “Dragões do fogo, da purificação e da transformação peço que nesse momento a força do fogo esteja presente nesse despertar, que os poderes do magma, dos úteros incandescentes despertem e me auxiliem nessa jornada. “

“ Dragões do Ar, da inspiração e do plano mental, peço que nesse momento a força do ar esteja presente nesse despertar, que o poder do oxigênio, das tempestades e dos furacões despertem e me auxiliem nessa jornada “

“ Dragões da Terra, da fertilidade e da materialização, peço que nesse momento a força da terra esteja presente nesse despertar, que o poder das rochas, cristais e minerais despertem e me auxiliem nessa jornada. “

“ Dragões da Água, das emoções e da intuição, peço nesse momento que a força da água esteja presente nesse despertar, que o poder das memórias do planeta, dos registros da vida e da fecundidade desperte e me auxiliem nessa jornada. “


Segure a pedra com as duas mãos e caso você tenha contato com algum dragão chame por ele nesse momento, caso contrário invoque um guardião condutor.

“ Peço aos dragões guardiões dos cristais e registros cristalinos que me conduzam e permitam o acesso às linhas de poder da (se souber diga o nome da pedra) para que ela se torne um elo de conexão entre os mundos.

Mergulhe a pedra na infusão e diga:
 “Espirito que habita nesse corpo cristalino, peço a sua permissão para que através de você eu possa enxergar aquilo que me for permitido.”

Mergulhe e deixe-a imersa na infusão, sinta a energia fluir da gema para as suas mãos. Após alguns minutos retire-o e siga com a ritualística.

Passe- pela chama da vela e peça:
 “Pelo poder dos dragões do fogo que o espírito desperte.”
Na fumaça do incenso:
 “Pelo poder dos dragões do ar que a consciência desperte.”
Coloque na terra e diga:
 “Pelo poder dos dragões da terra que estrutura desse cristal se firme.”
Mergulhe novamente na infusão e diga:
 “Pelo poder dos dragões da água que as memórias despertem.”
Após isso medite um pouco com a sua joia mística, sinta o que está despertando nela. Á partir desse rito deixe-a em seu altar, quando sentir necessidade você pode colocar a gema em seu terceiro olho para abrir conexões, debaixo do travesseiro para viagens astrais nas dimensões que forem permitidas. 
Caso deseje pode guarda-la em uma caixinha ou saquinho escuro. 

Lembre-se que a dracônia é um objeto de poder e cura, use-a com sabedoria. 

Espero que todos tenham gostado, o conhecimento aqui passado foi recebi através de vivências pessoais e estudo com os dragões, nossa intenção sempre é de compartilhar nossas experiências, e se elas servirem ao menos para uma pessoa então todo o nosso empenho não terá sido em vão. 

Júlio Archanjo 
                

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O CAMINHO DO GUERREIRO - A Essência das Espadas.



Muitos desejam o portar de uma espada em seu caminho mágico. Ao iniciar nossa jornada mística, já vislumbramos o momento em que obteremos nossa maioridade e para então trocarmos nosso athame, punhal ou boline por uma espada vibrante e vistosa aos olhos. Esse é o desejo de muitos. Mas a responsabilidade e maturação para conseguir portar uma espada de forma digna não está ao alcance de muitos iniciados.

Ter uma espada é muito simples e fácil, começamos por nossa vontade, ou melhor, vontade do “Ego” de ter aquele majestoso item, logo se junta um valor X e então a busca do item dos sonhos começa. Adquirido por uma loja virtual ou em uma loja física. Consagra-se em algum rito, banha-se em óleo dos mais variados aromas e pronto, nasce um cavaleiro pronto para trazer a justiça com sua arma. Mas não, a jornada não é simples assim. Ter e saber usar uma espada são fatores completamente diferentes.

Pode parecer irônico, mais aqueles que portam uma espada, fazem todo o possível para que não seja necessário usá-la. A quantidade de poder e energia que uma espada canaliza e defere em um rito equivale a cem athames usados em sincronia em um único proposito. A ação feita com uma espada é cobrada pelo universo ao portador da arma de forma quase que instantânea. Isso devido à simbologia que essa arma traz. 

A espada é um símbolo da nobreza em todas as civilizações, sendo usada sempre por nobres (barões, reis, sultões, senhores feudais) essa arma sempre denotou poder e controle, sendo responsável pelo respeito da massa. No Japão feudal, apenas os samurais e seus senhores (Daimios) podiam portar uma espada de lâmina (Katana). Isso fazia com que fossem reconhecidos como mais alta autonomia no Japão, permitindo matar qualquer um que ferisse sua honra, sem prestar satisfação de seus atos. A honra de um Samurai está acima de todas as coisas. 

Uma espada bem usada se torna a extensão de seu corpo e só deve ser retirada se sua bainha, caso uma batalha seja inevitável. Pois os danos jamais serão reparados. A alma do guerreiro vibra junto com sua espada, permitindo que o alcance de seus atos sejam mais longo, atingindo planos e reinos acima e abaixo de nós. Prova disso, a autora D.J.Conway cita em seu livro Dancing With Dragons, que para se trabalhar com Dragon Magick, além de alguns anos de estudos e prática de caminho mágico independente do caminho, o iniciado deve portar um pentagrama para servir de portal e uma espada para servir de chave.

Dragões são seres de outras dimensões que habitam a milhões de anos nosso planeta, se misturaram com a fauna local e fizeram parte da nossa mitologia em diversos continentes. Acompanharam a evolução, crescimento, queda e destruição de impérios e grandes imperadores e em todas essas batalhas, as espadas estavam presente, trazendo glória e tristezas. 
Sem uma espada devidamente consagrada e o símbolo cármico de diversas iniciações espirituais, Dragões, Mestres Ascensos, Elementais e seres de esferas superiores e inferiores não respondem ao iniciado. O controle e integridade sempre são apresentados ao invocado na presença da lâmina do portador. 

Podemos ver essa relação de espada e poder ao longo de diversas series animadas, filme e romances clássicos. Gandalf usa sua espada apenas para denotar seu poder e invocar selos e uma magia mais elevada contra o Balrog. Aragorn é reconhecido como verdadeiro herdeiro da Terra Média, quando empunha a espada reconstruída dos seus antepassados. Lion tem o reconhecimento da sua responsabilidade e maturidade quando porta a espada justiceira e consegue controlar a essência do olho de thundera, se tornando assim líder do Thundercats. Exemplos são inúmeros, basta observar de forma menos amadora e mais esotérica.

A espada carrega o espirito do seu portador, quando essa espada se quebra ou é corrompida da sua vibração natural de alguma forma, a essência do seu usuário sofre grandes danos ao longo da jornada. O simples fato de adquirir outra espada não responde as necessidades espirituais. Uma parte do guerreiro foi perdida ou desfragmentada, cabe a ele se restaurar de forma integra e continuar a sua jornada, sem uma nova espada. Quando seu espírito estiver integro novamente e seus valores foram assumidos de coração, uma nova espada é guiada pelo universo, com a permissão de seus mentores espirituais e não por simples luxuria.

Campbell no seu livro O Herói de Mil Faces, relata que toda grande jornada que é iniciada pelo mago ou pelo aprendiz se finaliza com a aquisição da espada no momento que temos o retorno ao lar. O garoto que saiu para a sua jornada de transformação e maturidade, retorna para casa com sucesso ao conquistar sua maturidade e o símbolo de sua mudança e evolução. Sua Espada. 

Com amor, sabedoria e pureza, empunhe sua arma para o bem comum e não para o seu próprio bem. Existem diferenças e nuances nas linhas do universo que não conhecemos e não sabemos dominar, mais com o empunhar de uma espada, conseguimos esbarrar levemente nesse imenso universo.

Fiquem na Paz de seus atos.
Janus – O Guardião.

terça-feira, 9 de junho de 2015

A MAGIA DOS DRAGÕES | Uma visão além do modismo.



A cada dia que se passa vejo cada vez mais ao meu redor pessoas falando sobre os dragões, sobre suas experiências e vivências muitas vezes “assustadoras”. Recebo semanalmente e-mails, mensagens in box, perguntas, relatos, histórias e afins sobre dragões e toda sua magia. Muitas vezes noto que tais vivências são intensas e verdadeiras, outras apenas projeções de um desejo, independente da forma que elas acontecem, o seu resultado e sempre impressionante. Noto que os Dragões assim como as demais esferas espirituais se aproximam e se afastam de nossa dimensão, isso de acordo com a necessidade de aprendizado de ambos os lados, muitas vezes podemos ver toda a egregora ativa em nossa dimensão, vida e cotidiano mágico, outras vezes são apenas uma lembrança de mestres que outrora estiveram junto de nós. 
Nesses anos de estudos, práticas e vivências com esses mestres, pude notar o quão sua egregora é rica e estruturada de uma forma leal, cortês, direta e mágica. Além de comprovar o fato de serem seres que transitam nas mais diversas egregoras e energias, em vários dos relatos que recebi e também por vivências que tive pude notar visitas de dragões em rituais de bruxaria, ritos xamânicos, ritos de ayaoasca, igrejas, terreiros, casas espíritas e afins. Isso prova que eles fazem parte de uma egregora que não se prende apenas ao que chamamos de “magia dos dragões”, eles são intermediadores e executores de funções de acordo com sua faixa vibracional de atuação, por isso digo que nem todos seguirão o caminho denominado de “magia dos dragões”, pois a magia dos dragões estará onde eles estiverem e não apenas em um sistema mágico. 
Pude notar nesses últimos tempos o grande crescimento de buscadores relacionados ao tema, grupos se formam para elucidar esse universo, cursos e obras nascem para facilitar a busca pelo caminho e contato com a egregora, tudo isso devido a aproximação cada vez mais intensa da esfera draconiana com a nossa dimensão. Essa esfera já esteve muito mais próxima de nós, porém por diversas situações que envolvem evolução e regressão eles se afastaram para que em outro momento, quando almas conscientes de suas jornadas e caminhos compreenderiam seu real valor e poder. 
Quando recebo algum questionamento do tipo “O que você acha que isso significa?”, “ Isso realmente é real?”, “Um dragão me escolheu?”... 
Eu respondo com de uma forma que muitas vezes poderá soar como uma resposta ríspida ou grossa, porém essa frase “A única pessoa que pode responder isso é você.” É a mais pura verdade, partindo do princípio que o contato com a esfera e o seu mentor dragão é como um relacionamento amoroso, as situações que ocorrem dentro dele tais como conversas, dúvidas, ensinamentos e afins dizem respeito apenas a você! Se dessa forma você ainda não se sentir seguro com a relação mágica e energética que está se iniciando, PARE! Sim, pare, e pergunte a si mesmo se está preparado e seguro para o que está acontecendo com você. Caso a resposta seja positiva ou negativa ela só dirá respeito a você e as suas escolhas, nesse caso muitos antes de você o Dragão saberá da situação e entenderá as escolhas que competem apenas a você.

Quando recebi a “missão” de criar os a Amigos Alados foi de fato um desafio, desafio esse que a cada postagem era superado e transformado em puro aprendizado e prazer. Desde o início deixei claro que o conteúdo postado lá era de cunho pessoal em nível de experiência e prática, muitas vezes canalizações recebidas em meio à madrugada que posteriormente virariam uma jornada ou vlog para aqueles que lessem ou assistissem pudessem sanar um pouco de suas dúvidas e inseguranças. Troca de experiências, textos traduzidos, rituais e afins fizeram parte da jornada de confirmar aquilo que era recebido para que fosse passado adiante com integridade e verdade. Ao longo dessa jornada muitas informações foram trocadas, parcerias firmadas e amizades solidificadas a fim de expandir ainda mais o que aprendíamos e assim poder ensinar com humildade e amor o que foi passado. 
Hoje sei que os Amigos Alados com seus textos e vlogs foi uma grande ferramenta para que novos buscadores chegassem até essa egregora draconiana que hoje está ainda mais em voga. 
Porém uma coisa que notei ao longo dessa jornada é que muitos, mas muitos buscadores queriam adentrar a egregora apenas pela curiosidade ou movidos pelo modismo pop draconiano, isso de certo modo me preocupou, pois assim como qualquer outra jornada mágica, a jornada do dragão é intensa, visceral e muitas vezes assustadora devido aos grandes desafios a serem superados e também saber lidar com o conhecimento e magia adquirida. E então eu pergunto o que você realmente espera dessa jornada? 
Muitos esperam títulos, outros poderes, força e afins... Porém poucos realmente desejam aprendizado, evolução e crescimento com o auxílio desses poderosos mestres. Uns querem apenas um “sopro” em uma poção, outros um pouco de magia para suas espadas e capas espalhafatosas... Mas o que realmente importa? O que realmente é necessário e verdadeiro?
Hoje tenho o privilégio de ter tido diversos mestres da esfera draconiana, com os quais pude aprender e evoluir em diversos aspectos de minha vida pessoal e mágica, ao escrever esse texto que agora você lê, pude notar e sentir que estamos em um momento onde eles estão muito mais próximos de nós, a ponto de um deles ficar brincando com o incenso que queima e inspira esse texto.

Sinta, analise, vivencie e sinta a verdadeira magia dos dragões.
Júlio Archanjo